segunda-feira, 24 de julho de 2017

Lista de oração de Jerusalém – 23 de julho de 2017


              Jerusalém e Israel estão passando por grandes problemas nestes dias. Os problemas começaram a aumentar quando três jovens árabes de uma cidade perto de Tel-Meggido vieram a Jerusalém e receberam armas de dentro do Monte do Templo e atiraram em dois policiais israelenses. Ambos os policiais eram drusos. Os três terroristas árabes receberam tiros de outras forças israelenses que chegaram no local. Este triste evento deu início a uma série de eventos que estão se complicando com o passar das horas. Existe uma tentativa dos radicais de começar uma guerra religiosa entre Israel e o mundo islâmico. As nações muçulmanas distantes como a Chechênia nas montanhas ao sul da antiga União Soviética já se mostraram dispostos a enviar ajuda militar aos “palestinos” a fim de salvar a Mesquita de Al-Aqsa. Tudo isso porque Israel colocou detectores de metal na entrada do Monte do Templo. Em Meca, existem detectores de metal. Na entrada para o Muro das Lamentações há detectores de metal e todos – judeus, muçulmanos, cristãos – têm que passar por eles. Mas Israel, por precaução, a fim de evitar revolveres e outras armas de entrar no Monte do Templo, está sob enorme ataque político e terrorista. Durante a noite do Shabat, em uma pequena vila não muito longe de Jerusalém, um terrorista entrou na casa de uma família de judeus ortodoxos que estava celebrando o Shabat e cortou suas gargantas e assassinou três membros dessa família e feriu uma senhora de 68 anos.
              A situação está se tornando mais complicada e todos que se importam com Israel e com Jerusalém devem orar como nunca antes, para que o Senhor acalme essa situação. Se a situação não acalmar, pode ser que devemos nos preparar para enfrentar o cenário de Zacarias capítulo 12. Por favor, orem por Jerusalém e por Israel e pelos nossos vizinhos árabes para receberem bom senso e pararem o terrorismo e o ódio, que tem devorado milhares de pessoas de ambos os lados.
              Nas últimas duas semanas, tenho tido trabalhadores árabes/palestinos trabalhando em minha casa. Tomamos café juntos e comemos juntos e conversamos sobre religião e estabelecemos um relacionamento de amizade. Eles são da região de Belém. Eles moram em uma região que está sob a Autoridade Palestina. É absolutamente claro para mim e para eles que as questões são espirituais e religiosas e que a força militar não pode parar o ódio e o derramamento de sangue entre nós. O Netivyah tem sido e ainda está envolvido na reconciliação entre judeus e palestinos. Nós provemos bolsas de estudo para estudantes palestinos e alimentamos algumas famílias palestinas. Temos amigos palestinos que são irmãos no Messias.
              Por favor, junte-se ao Netivyah e nos ajude com orações e finanças a alcançar o vale de ódio e terrorismo com a atitude e o ensino de Yeshua o Messias. Suporte o Netivyah indo até nossa página e contribuindo, para que possamos ser ferramentas de paz e de reconciliação entre judeus e árabes discípulos de Yeshua e entre judeus e árabes/palestinos. Claro, a coisa mais importante que você pode fazer é interceder e orar pela paz de Jerusalém. Por menor que sejamos, nossas orações e nossas ações têm um grande poder de alcance com as Boas Novas do evangelho de Yeshua, que é o único poder capaz de trazer a paz entre judeus e árabes. Por favor, unam-se a nós!
              Nós declaramos um dia de jejum e oração pela situação de vários irmãos e irmãs que precisam urgente de cura de uma doença séria. Ao final das 12 horas de jejum, todos nós teremos um culto de oração na segunda-feira, para quebrarmos o jejum e orarmos juntos clamando por cura.
              Estes são os irmãos e irmãs para quem estamos separando este dia de jejum e oração: Gary W., Nancy H., Aaron H., Victor B., Uri M., David S., Ahuva B., Leah K., Miriam K., Hannah K., Marcia S., Danah e Noaam, Alice, e Bida de Belo Horizonte, Brasil.
              Que Deus tenha misericórdia de todos nós e especialmente de Jerusalém, a cidade do grande Rei.

              Joseph Shulam