segunda-feira, 20 de novembro de 2017

A preocupação com a água volta depois de 4 anos de seca em Israel


              Era uma fonte de orgulho nacional – tecnologia e disciplina melhorando a incapacitante falta de água. Mas quatro anos de seca sobrecarregou o conjunto inigualável de usinas de dessalinização e tratamento de águas residuais de Israel, sufocando suas regiões mais férteis e pegando o governo desprevenido.
              “Ninguém podia imaginar que enfrentaríamos uma sequência de anos áridos como esses, porque nunca havia acontecido antes”, disse Uri Schor, porta-voz da Autoridade Hídrica de Israel.
              Está previsto que o Mar da Galileia, tecnicamente um lago que faz fronteira com a Síria, irá atingir seu menor nível da história antes da chegada das chuvas de inverno, apesar do fato de o bombeamento no local ter sido drasticamente reduzido. Aquíferos subterrâneos, a outra principal fonte de água limpa, estão atingindo um nível que os tonarão salgados.
              Como enfrentar a crise está se tornando um assunto delicado em Israel. A proposta de reduzir o consumo de água em 50% no próximo ano foi veementemente rejeitada pelos agricultores, que já enfrentam duras restrições e seriam os mais atingidos pela crise. O governo recuou imediatamente.

              No Oriente Médio, uma das regiões mais vulneráveis à mudança climática, a água também é objeto de tensões ainda maiores. Uma intensa pressão em recursos já escassos poderia levar a um aumento da migração e ao risco de um conflito, alertou a Cisjordânia.
              A Síria e a Jordânia dependem das mesmas fontes de água que Israel, o que já ocasionou o aumento da tensão no passado. Os palestinos têm reclamado por anos do acesso inapropriado à água, que está sob controle israelense na maior parte da Cisjordânia. Israel disse que tem suprido mais água do que o exigido nos acordos de paz.
              Está em discussão como uma possível solução a longo prazo para o problema de água em Israel, a construção de uma usina de dessalinização, disse um funcionário da indústria. Uma instalação similar em Israel teve um custo de mais de 400 milhões de dólares.
              Vários reservatórios para captar a água da chuva também poderiam aliviar um pouco a pressão como uma solução rápida de 60 milhões de dólares, disse um funcionário que preferiu permanecer anônimo, devido à sensibilidade política do assunto.
              Apenas alguns anos atrás, Israel, um país com dois terços de seu território árido, declarou o fim da escassez de água, que o atormentara por décadas. Uma campanha nacional de conscientização chegou ao fim e os israelenses puderam finalmente tomar longos banhos e aguar suas plantas.

              Houve até conversas sobre exportar a água que estava sobrando para seus vizinhos. Isso veio como resultado de um pesado investimento, que viu Israel colocar NIS15 bilhões (US$4,3 bilhões) em sua rede nacional de água e centros de tratamento de esgoto. O setor comercial investiu outros NIS7 bilhões na construção de cinco usinas de dessalinização.
              O problema de abastecimento tem sido mais sentido pelos agricultores do norte de Israel, a região onde vive Dubi Amitay, a quarta geração de agricultores e o presidente da Federação de Agricultores de Israel.
              Amitay disse que a escassez o fez decidir por secar 3.700 hectares de terra, o que irá afetar futuras colheitas. Sua região natal do leste da Galileia, uma exuberante área entre a costa e os Altos do Golã, poderia perder até US$ 500 milhões nesta temporada, disse ele.
              A falta de recursos hídricos deixa os agricultores com uma profunda incerteza.
              “Teremos água ou não?”, questionou ele.

              Fonte: Ynetnews

domingo, 12 de novembro de 2017

A Verdade esteve sempre na Bíblia



Muitas de nossas "novas" descobertas científicas sempre estiveram, na verdade, sob nossos narizes, nas Escrituras.

POR WATCH JERUSALEM STAFF – 8 DE NOVEMBRO, 2017

Muitas vezes eles são vistos como dois lados opostos: a ciência, por um lado, e a Bíblia, por outro. A Bíblia é consistentemente considerada como um anátema para a ciência. Mas esse é realmente o caso? É justo rotular a Bíblia como um texto cientificamente atrasado de informações religiosas?
Na verdade, após uma inspeção mais próxima - no que diz respeito à ciência - a Bíblia estava há milhares de anos antes do seu tempo. Muitos princípios científicos descritos há milênio nas Escrituras só recentemente foram "descobertos" e explicados pela ciência. Listados abaixo são uma amostra deles.

O ciclo da água
Intelectuais antigos acreditavam que toda a água se originava abaixo da superfície da Terra. Cerca de 800 a.C, Homero disse que uma enorme caverna dentro da Terra fornecia toda a água dos rios. No quarto século a.C, os filósofos gregos hipotetizaram que o processo hidrológico era cíclico e que a teoria de Homero não tinha sido correta. No entanto, não foi até 1580 que uma explicação científica completa do ciclo foi entregue por Bernard Palissy - cerca de 2.500 anos após o rei Salomão ter descrito em detalhes.

Salomão disse: Eclesiastes 1: 7, c. 950 B.C.

O homem "descobriu": 1580

Homem feito do pó da Terra
Os cientistas acreditam que o corpo humano é composto de 25 elementos, cada um essencial para a vida humana. Cada um deles é encontrado na crosta terrestre. A Bíblia indicou isso cerca de 3.400 anos antes de 1982, que foi quando os pesquisadores do Centro de Pesquisa Ames da NASA confirmaram que todos os elementos do homem são encontrados no solo, levando um cientista a comentar: "O cenário bíblico para a criação da vida não está longe da verdade ".

Moisés disse: Gênesis 2: 7, c. 1400 B.C.

O homem "descobriu": final dos anos 1800

Existem INFINITAS Estrelas
Antes da invenção do telescópio, em 1608, cientistas como Ptolomeu (150 a.C.) ensinaram que as estrelas nos céus eram 3.000 ou menos. Atualmente, os astrônomos dizem que a Via Láctea apenas contém 400 bilhões de estrelas. Eles estimam que o universo observável contém mais de 170 bilhões de galáxias, muitas das quais contêm trilhões de estrelas. O universo além disso é desconhecido. Como Jeremias disse há 2.500 anos: “O Exército dos céus não pode ser contado".

Jeremias disse: Jeremias 33:22, c. 580 B.C.

O homem "descobriu": 1608
(Veja também Jó 9: 8; Zacarias 12: 1)

“O Exército dos céus não pode ser contado" - Jeremias declara mais de 2000 anos antes da descoberta de um universo em expansão. 


A Terra é Suspensa no Espaço
A maioria das culturas antigas acreditava que a Terra era apoiada por animais gigantes, homens ou pilares. Anaximandro da Grécia (611-547 a.C) foi um dos primeiros intelectuais conhecidos a postular a ideia que a Terra está suspensa no espaço. Mais tarde, no século VI aC, Pitágoras realizou estudos astronômicos em que afirmou provar a teoria de Anaximandro. Isso aconteceu 1.000 anos depois que Jó falou sobre isso como um fato. A explicação de como a Terra "flutua" no espaço não ocorreu até o final dos anos 1600, quando Isaac Newton representou a teoria da gravidade.

Jó disse: Jó 26: 7, c. 1550 B.C.

O homem "descobriu": o final dos 1600

Quarentena e saneamento
Ao longo da história, mesmo as culturas avançadas não entendiam nada sobre bactérias. A peste negra dos 1300 matou 50 milhões somente na Europa - mais da metade da população. Durante esta praga, os judeus (que obedeciam as instruções bíblicas de quarentena e higiene) experimentaram taxas de infecção muito menores. Somente nos anos 1800, os avanços no estudo bacteriano permitiram aos pesquisadores compreender a importância da quarentena, do saneamento e da higiene. Isso foi 3.200 anos e milhões de vidas depois que esses princípios foram delineados nos escritos de Moisés.

Moisés disse: Números 19: 3-22, c. 1400 B.C.

O homem "descobriu": 1800
(Veja também Levítico 11, 13, 14 e 22)

A vida está no sangue
Durante milhares de anos, as pessoas praticavam hemorragias como meio de tratamento de doenças. Esta prática médica causou inúmeras mortes porque não se conseguia entender que a vida está no sangue. Quando o sangue é removido, a vida acaba. Por volta de 1628, William Harvey descreveu com precisão a função do coração e a circulação do sangue ao redor do corpo. Não foi até 1840 que a hemoglobina transportadora de oxigênio foi descoberta no sangue. A Bíblia especificou que a "vida está no sangue" há mais de 3.000 anos de antecedência.

Moisés disse: Levítico 17:11, c. 1400 B.C.

O homem "descobriu": 1628

"A vida está no Sangue"


Correntes oceânicas
Uma intrincada rede de correntes flui através dos oceanos, influenciando fortemente o clima da Terra. Os caminhos dessas correntes mudam pouco. Os marinheiros medievais mencionavam correntes oceânicas, mas entendiam muito pouco sobre elas. Em 1770, Benjamin Franklin traçou partes da Corrente do Golfo, mas o grande quadro permaneceu obscuro até Matthew Maury (1806-1873) revolucionar as viagens marítimas ao traçar ventos e correntes. Sua missão era encontrar os "caminhos dos mares" que o rei David havia escrito 2.800 anos antes, no Salmo 8.

Davi disse: Salmo 8: 8, c. 1000 BC.

O homem "descobriu": 1800

Lavar com água corrente
Em 1846, Ignaz Semmelweis percebeu que as mãos não lavadas espalhavam doenças. Ele presenciava  médicos rotineiramente lidar com cadáveres e depois, sem lavar as mãos, tratar as mães que davam à luz. Isso elevou as taxas de mortalidade das mulheres. Semmelweis convenceu muitos médicos para lavarem as mãos entre os procedimentos, mas a maioria apenas lavava em uma tigela de água. Não foi até o final dos anos 1800 que Joseph Lister percebeu que precisava lavar com água corrente. Moisés tinha deixado isso claro uns 3.200 anos antes.

Moisés disse: Levítico 15:13, c. 1400 B.C.

O homem "descobriu": o final dos anos 1800

Universo em expansão
No século IV a.C, Aristóteles disse que o universo era de tamanho finito e permanecia inalterado durante toda a eternidade. Esta teoria prevaleceu até 1576, quando o astrónomo inglês Thomas Digges postulou a ideia de que as estrelas se expandem até o infinito. Esta teoria foi solidificada no século 17 por René Descartes e Isaac Newton. Em 1929, medindo os “redshifts” de uma série de galáxias distantes, Edwin Hubble provou conclusivamente que o universo está realmente se expandindo. Sem o benefício de telescópios, Isaías, Jó e Zecarias registraram o mesmo fato, alguns séculos antes.

Isaías disse: Isaías 45:12, c. 720 B.C.

O homem "descobriu": 1929

Estes são apenas alguns dos conceitos científicos revelados pela Bíblia - desde então ignorados ou esquecidos, apenas para serem provados verdadeiros milênios mais tarde. Imagine o tempo e o esforço que poderiam ter sido salvos!

Na verdade, muitos cientistas ao longo dos séculos 16 e 17 tinham grande consideração pela Bíblia. Aparentemente, eles faziam suas observações científicas com o objetivo de observar como a ciência glorificava a Deus! Hoje, o oposto é verdadeiro. No entanto, simplesmente descartar a Bíblia, como é a visão moderna comum, não é ciência. É anti-ciência! E, francamente, expõe um motivo mais profundo e sinistro. Em vez de tentar objetivamente encontrar a verdade, a ciência é degradada ao nível do mero preconceito pessoal.


Portanto, a questão permanece: como esse tipo de informação bíblica/científica pôde ser conhecida tão cedo? Para o não-crente, a resposta é um enigma. Mas para o crente da Bíblia, é claro: O Criador do universo conhece todos os detalhes de como o seu universo funciona desde que Ele o criou. Ele revelou uma certa quantidade dessas verdades aos escritores da Bíblia muito antes de os cientistas chegarem a compreendê-los.

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Lista de oração de Jerusalém – 2 de novembro de 2017



              Marcia e eu chegamos aos Estados Unidos ontem à noite. Estamos na casa do nosso filho, no meio do Tennessee. À medida em que envelhecemos, essas viagens parecem ficar mais longas. Somos gratos pela oportunidade de estar com nossa família e também pela oportunidade de encontrar irmãos e irmãs nos Estados Unidos.
              A porção desta semana da Torá é a Parashá Vaierá (Gênesis 18:1 – 22:24). Vaierá é uma das porções mais dramáticas da Bíblia hebraica. Existem dois eventos nesta leitura que na verdade mudaram nossa visão de Deus e do Seu caráter. O primeiro evento é o interessante encontro entre os três “anjos” com Abraão nos carvalhais de Manre. Os carvalhais de Manre ficam perto da cidade de Hebron. A cidade de Hebron é onde Abraão comprou a caverna de Macpela para enterrar Sara, sua mulher. Na verdade, nossos patriarcas, Abraão, Isaque, Jacó, Sara, Rebeca, Lia e José estão todos enterrados nessa mesma caverna, em Hebron.
              O segundo e mais dramático evento é quando Abraão, em obediência à ordem de Deus, leva o seu filho Isaque para ser sacrificado no topo do monte Moriá. Este é o mesmo monte onde Salomão construiu o Templo em Jerusalém, e onde hoje fica a Mesquita de Omar (Domo da Rocha).
              Eu gostaria de compartilhar com você um pouco sobre esses dois eventos. O encontro entre Abraão e os três anjos tem alguns ensinamentos importantes para todos nós, judeus, cristãos e muçulmanos, se eles quiserem aprender da Torá. Aqui estão algumas das coisas importantes que podemos aprender com Abraão:
1.       O homem, mais especificamente o homem justo, pode ter uma conversa com o Todo Poderoso.
2.       Deus está disposto a ter uma conversa com o homem justo, e eu acrescentaria que Deus está disposto, algumas vezes, a ter uma conversa com o homem mal, como Balaão e Caim.
3.       O homem justo (incluindo mulheres, é claro) pode mudar o curso da história. Deus está disposto a levar em consideração o homem justo e recolher sua Mão de punição, se houver homens justos o suficiente na cidade.
4.       O Senhor está disposto a aceitar a lógica e é sensível à Sua reputação entre os homens. Como os comerciantes de hoje da Cidade Velha em Jerusalém, eles oferecem um alto preço por algo, mas estão dispostos a negociar e na maioria das vezes, o preço cai até 70% e eles ainda têm um bom lucro.
Sobre o sacrifício de Isaque, eu já escrevi anteriormente e a única coisa que eu gostaria de dizer sobre isso agora é que estamos todos precisando da palavra-chave dessa história em hebraico - הינני - que em português quer dizer “eis-me aqui Senhor, pronto para obedecer e fazer a Tua vontade”. Esta palavra aparece mais de uma vez no capítulo 24:1, 7, 11 de Gênesis e é a palavra-chave que vários servos de Deus usaram (Abraão, Jacó, José, Moisés, Samuel e Davi).
Agora, algumas pessoas iriam duvidar dessas observações fundamentais sobre nosso Senhor Deus Criador. Eles podem ver Deus como um ogro, cheio de ódio e raiva. Todavia, o Senhor define a Si mesmo e nos dá Suas características e qualidades mais de uma vez. Eu gostaria de citar Êxodo 34:6-7 – “Passando, pois, o Senhor perante ele, clamou: O Senhor, o Senhor Deus, misericordioso e piedoso, tardio em irar-se e grande em beneficência e verdade; Que guarda a beneficência em milhares; que perdoa a iniquidade, e a transgressão e o pecado; que ao culpado não tem por inocente; que visita a iniquidade dos pais sobre os filhos e sobre os filhos dos filhos até a terceira e quarta geração.”
Uma observação sobre essa última parte do texto. No século VIII a.C., o Senhor mudou este princípio e temos dois registros dessa mudança: “"Virão dias", diz o Senhor, "em que semearei na comunidade de Israel e na comunidade de Judá homens e animais. Assim como os vigiei para arrancar e despedaçar, para derrubar, destruir e trazer a desgraça, também os vigiarei para edificar e plantar", declara o Senhor. "Naqueles dias não se dirá mais: ‘Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos se mancharam’. Ao contrário, cada um morrerá por causa do seu próprio pecado. Os dentes de todo aquele que comer uvas verdes se mancharam.” (Jeremias 31:27-30). Ezequiel também proclama essa mudança na forma como Deus lida com o pecador: Esta palavra do Senhor veio a mim: "Que é que vocês querem dizer quando citam este provérbio sobre Israel: " ‘Os pais comem uvas verdes, e os dentes dos filhos se embotam’? "Juro pela minha vida, palavra do Soberano Senhor, que vocês não citarão mais esse provérbio em Israel. Pois todos me pertencem. Tanto o pai como o filho me pertencem. Aquele que pecar é que morrerá.” (Ezequiel 18:1-4).
Aqui também está claro que Deus pode mudar de ideia sobre algo que Ele declarou muitos séculos antes, quando Ele deu a Torá a Moisés. Entender isso é crucial para nós que acreditamos na revelação de Deus através do Seu Filho Yeshua, nosso Messias. A história de Abraão e os três anjos nos carvalhais de Manre é um exemplo monumental do entendimento e consideração de Deus para com o auge da Sua criação – o homem, o ser humano. Devemos sempre nos lembrar do quanto Deus nos ama e nos deu duas de Suas características mais proeminentes, Sua imagem e semelhança. Ele nos deu domínio sobre a criação, terra e mar e no século XX um pouquinho do céu também. Podemos voar em pássaros de ferro e até sair da atmosfera e ir para o espaço. (Gênesis 1:26-27)
Por favor, ore por Israel. Hoje é o centenário da Declaração de Balfour. Com crítica ao Império Britânico, sobre o qual o sol já se pôs há algumas décadas, a Declaração de Balfour foi uma das joias mais preciosas da coroa britânica. Isso é o que diz a Declaração de Balfour, em 2 de novembro de 1917, o então secretário britânico dos Assuntos Estrangeiros, Arthur James Balfour, escreveu uma carta dirigida ao Barão Rothschild, líder da comunidade judaica do Reino Unido, para ser transmitida à Federação Sionista da Grã-Bretanha.
“O governo de Sua Majestade encara favoravelmente o estabelecimento, na Palestina, de um Lar Nacional para o Povo Judeu, e empregará todos os seus esforços no sentido de facilitar a realização desse objetivo, entendendo-se claramente que nada será feito que possa atentar contra os direitos civis e religiosos das coletividades não-judaicas existentes na Palestina, nem contra os direitos e o estatuto político de que gozam os judeus em qualquer outro país.”
Este foi um passo dado pela Grã-Bretanha que mudou o curso da história. Estou certo de que o Parlamento Britânico hoje não está comemorando a Declaração de Balfour, nem os árabes, mas a obra do Senhor muitas vezes é feita por pessoas que nem sempre estão cientes de que Deus está usando-as para mudar a história. Tenho certeza de que isso é verdade para o Reino Unido da Grã-Bretanha. Ore por Israel e abençoe a Inglaterra, para que seja próspera novamente.
Continue orando pela Marcia. Temos uma longa viagem pela frente e a Marcia precisa da misericórdia e da cura do nosso Deus. Ela ficará um mês e meio nos Estados Unidos, alguns dias com o Barry, alguns dias com a Danah, na Califórnia e alguns dias com seus pais, no Tennessee. Ore para que Deus a mantenha forte e saudável.
Por favor, ore por mim. Estarei viajando pelos Estados Unidos e daqui irei para a Ásia, Coreia, Hong Kong e China, depois volto para casa, no meio de dezembro.
Continue orando pelo Yuda, Daniel Adam, Hannah, Nancy, Tigis e Rafael, que são funcionários do Netivyah, e pelo Zvi, Saiichi e Jay, membros da diretoria do Netivyah. Todas essas pessoas são grandes servos de Deus e estão realizando um maravilhoso trabalho e precisam do seu apoio e das suas orações.  
Por favor, ore pelas seguintes pessoas que estão sofrendo com alguma enfermidade: David S., Marcia S., Miriam L., Yuri M., Greg W., Nancy H., Ruby L., Tim T., Kari A., Pekka R., Salme L., Keijo L., Leah K., Ilana H., Satu-Maria H., Hannah K., Ahuva B., Paulo A., Carla, Antonio P., Aaron H., Anna-Majia, Erki e Sirpa, Sarit C., Takeo M., Tomoko M., Daisuke M., Sadako San, Liz J., Bobby M., Toru San, Yehuda H., Yshai R., Naomi, pai e mãe do Marcelo, Victor B., Miriam Shi., e pela família da Marcia. Todas essas pessoas são irmãos e irmãs preciosos, que trabalham no Reino de Deus, e que estão sofrendo com alguma doença física. Um pedido de oração especial para Tinika, na Holanda. Sua situação está deteriorando e ela precisa de nossa intercessão frente a corte Divina.  
Por favor, ore pelas seguintes pessoas que precisam não só de cura física, mas precisam também de uma bênção especial em seus empregos e em suas vidas: Danah S. e Noaam., Raymond G., Laurel S., Michael K., David H., Gabriel G., Barry S. e sua família, Roger W. e sua família.
Ore especialmente pelo Johnathan B. e seu ministério e a conferência que será no dia 6 de novembro, em Phoenix.
Que o Senhor te abençoe e abençoe tudo o que você faz com sucesso e unção Dvina do seu amor para com você.
Muito obrigado pelo seu apoio e por suas orações.

Joseph Shulam

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Martinho Lutero e os 500 anos de antissemitismo na Reforma

Conflitos surgem sobre o "Judensau", uma escultura de pedra na Igreja de Stadtkirche – Wittemberg - Alemanha,  mostrando judeus que se amamentam nas tetas de uma porca enquanto um rabino olha sob sua cauda.

Times of Israel – 31 de outubro 2017

BERLIM, Alemanha (AFP) - Uma fileira amarga sobre uma escultura antissemita medieval em uma parede da igreja corre o risco de ofuscar as celebrações da Alemanha na terça-feira para marcar o 500º aniversário da Reforma, a mudança teológica sísmica iniciada pelo teólogo alemão Martinho Lutero.

A escultura de baixo relevo no coração da disputa data de cerca do séc. XIII e é um dos últimos exemplos de arte vulgar anti-judaica popular da Alemanha, que era comum na Europa durante aquela época.

"Judensau" esculpido na Igreja Luterana de Wittemberg. Antissemitismo protestante medieval ainda presente nos dias atuais.


A imagem de pedra gráfica mostra judeus que se amamentam das tetas de uma porca enquanto um rabino olha atentamente sob sua perna e cauda. O simbolismo odioso é que os judeus obtêm seu sustento e sua escritura de um animal imundo.

Muitas igrejas na Idade Média tiveram esculturas semelhantes de "Judensau" (porcos judeus), que também foram destinadas a enviar a mensagem de que os judeus não eram bem-vindos em suas comunidades.

No entanto, sua proeminência na fachada da Igreja Stadtkirche na cidade de Wittenberg, no leste da Alemanha, deriva da importância do edifício, onde Lutero, ele mesmo um antissemita notório, pregou dois séculos depois.

Foi em Wittenberg que Lutero pregou suas 95 teses na porta de outra igreja, em 1517, levando a uma separação com a Igreja Católica Romana e ao nascimento do protestantismo. O teólogo argumentou que os cristãos não podem comprar ou ganhar o caminho para o céu, mas devem apenas entrar pela graça de Deus, marcando um ponto de mudança no pensamento cristão.

Mas Lutero também esteve ligado à história mais negra da Alemanha, pois seus últimos sermões e escritos foram marcados pelo antissemitismo - algo que os nazistas usariam mais tarde para justificar sua brutal perseguição aos judeus.

Marcando o 500º aniversário da Reforma, a chanceler alemã Angela Merkel, ela mesma filha de um pastor protestante, disse que era essencial que o antissemitismo de Lutero nunca fosse esfregado de seu legado teológico.

"Isto é, para mim, o histórico abrangente que precisamos", disse ela em seu podcast de vídeo semanal no sábado.

Dezenas de milhares de cristãos de todo o mundo visitaram Wittenberg nos últimos meses, a cidade de 47 mil habitantes, a 100 quilômetros a sudoeste de Berlim.

Enquanto isso, uma coalizão de ativistas aproveitou o aniversário para argumentar que a escultura em sua localização atual, onde Lutero primeiro pregava em alemão, continua a ser um símbolo perigoso de intolerância.

Uma petição iniciada pelo teólogo britânico Richard Harvey, pede que a escultura seja removida da esfera pública e exibida em um museu.

"É tão escandaloso, obsceno, insultante, amedrontador - é algo que protesto nos termos mais fortes possíveis e, se houver algum meio - humano, físico, espiritual ou o que quer que seja - para mudá-lo, vamos fazê-lo", disse Harvey, um judeu messiânico em vídeo postado on-line.

O recurso reuniu mais de 8.000 assinaturas até agora.

Foto tirada em 28 de outubro de 2016 mostra uma estátua de bronze do teólogo alemão Martinho Lutero fora da Marktkirche (Igreja do Mercado) em Hannover, na Alemanha. (AFP PHOTO / dpa / Holger Hollemann)

No entanto, a própria congregação da igreja de Wittenberg e o conselho da cidade argumentam que a escultura antissemita deve ser mantida, adotando uma resolução nesse sentido em junho.
Eles observam que uma placa de bronze colocada em 1988 no pavimento ao lado da igreja, aponta para o horrível legado do sentimento antijudaico virulento, tornando o conjunto uma relíquia histórica vital.

"Estamos convencidos de que a história significa não esquecer o lado sombrio do passado, mas enfrentá-lo", disse o pastor da igreja, Johannes Block, à ZDF Public Television.

"Seria historicamente incorreto remover a escultura", afirmou o professor de educação, Micha Brumlik, que lidera um movimento local para manter a imagem.

Ele disse à AFP que a melhor solução seria expandir o memorial adjacente contra o antissemitismo, que foi instalado sob o comunismo, para colocar a escultura "Judensau" em contexto.

"Por respeito ao que aconteceu depois aos judeus, você deve fornecer uma explicação mais completa", disse ele.

Para chamar a atenção para a sua causa, Brumlik e outros ativistas realizaram reuniões na praça principal de Wittenberg e leram textos antissemitas escritos por Lutero.

O protesto seguiu encontros semanais no mesmo local em Wittenberg onde, no ano passado, participantes mantiveram sinais contra a escultura, incluindo os dizeres: "Depois de Auschwitz, é necessário ter o 'Judensau'?"

Enquanto esculturas semelhantes desapareceram gradualmente na Europa, "Judensau" continua a ser uma injúria antissemita comum usada pelos neonazistas na Alemanha.

A controvérsia vem contra o pano de fundo da “Alternativa de Extrema Direita para a Alemanha” (AFD), que conquistou quase 13 por cento dos votos nas eleições gerais do mês passado e entrou no parlamento pela primeira vez.

O ramo local do partido islamofóbico e anti-imigração aproveitou o debate para promover sua própria agenda.Em sua própria petição, pedindo que o status quo seja mantido, o AFD escreveu que "aqueles que têm um problema com os judeus hoje" são principalmente pessoas "de origem árabe-muçulmana".

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Lista de oração de Jerusalém – 23 de julho de 2017


              Jerusalém e Israel estão passando por grandes problemas nestes dias. Os problemas começaram a aumentar quando três jovens árabes de uma cidade perto de Tel-Meggido vieram a Jerusalém e receberam armas de dentro do Monte do Templo e atiraram em dois policiais israelenses. Ambos os policiais eram drusos. Os três terroristas árabes receberam tiros de outras forças israelenses que chegaram no local. Este triste evento deu início a uma série de eventos que estão se complicando com o passar das horas. Existe uma tentativa dos radicais de começar uma guerra religiosa entre Israel e o mundo islâmico. As nações muçulmanas distantes como a Chechênia nas montanhas ao sul da antiga União Soviética já se mostraram dispostos a enviar ajuda militar aos “palestinos” a fim de salvar a Mesquita de Al-Aqsa. Tudo isso porque Israel colocou detectores de metal na entrada do Monte do Templo. Em Meca, existem detectores de metal. Na entrada para o Muro das Lamentações há detectores de metal e todos – judeus, muçulmanos, cristãos – têm que passar por eles. Mas Israel, por precaução, a fim de evitar revolveres e outras armas de entrar no Monte do Templo, está sob enorme ataque político e terrorista. Durante a noite do Shabat, em uma pequena vila não muito longe de Jerusalém, um terrorista entrou na casa de uma família de judeus ortodoxos que estava celebrando o Shabat e cortou suas gargantas e assassinou três membros dessa família e feriu uma senhora de 68 anos.
              A situação está se tornando mais complicada e todos que se importam com Israel e com Jerusalém devem orar como nunca antes, para que o Senhor acalme essa situação. Se a situação não acalmar, pode ser que devemos nos preparar para enfrentar o cenário de Zacarias capítulo 12. Por favor, orem por Jerusalém e por Israel e pelos nossos vizinhos árabes para receberem bom senso e pararem o terrorismo e o ódio, que tem devorado milhares de pessoas de ambos os lados.
              Nas últimas duas semanas, tenho tido trabalhadores árabes/palestinos trabalhando em minha casa. Tomamos café juntos e comemos juntos e conversamos sobre religião e estabelecemos um relacionamento de amizade. Eles são da região de Belém. Eles moram em uma região que está sob a Autoridade Palestina. É absolutamente claro para mim e para eles que as questões são espirituais e religiosas e que a força militar não pode parar o ódio e o derramamento de sangue entre nós. O Netivyah tem sido e ainda está envolvido na reconciliação entre judeus e palestinos. Nós provemos bolsas de estudo para estudantes palestinos e alimentamos algumas famílias palestinas. Temos amigos palestinos que são irmãos no Messias.
              Por favor, junte-se ao Netivyah e nos ajude com orações e finanças a alcançar o vale de ódio e terrorismo com a atitude e o ensino de Yeshua o Messias. Suporte o Netivyah indo até nossa página e contribuindo, para que possamos ser ferramentas de paz e de reconciliação entre judeus e árabes discípulos de Yeshua e entre judeus e árabes/palestinos. Claro, a coisa mais importante que você pode fazer é interceder e orar pela paz de Jerusalém. Por menor que sejamos, nossas orações e nossas ações têm um grande poder de alcance com as Boas Novas do evangelho de Yeshua, que é o único poder capaz de trazer a paz entre judeus e árabes. Por favor, unam-se a nós!
              Nós declaramos um dia de jejum e oração pela situação de vários irmãos e irmãs que precisam urgente de cura de uma doença séria. Ao final das 12 horas de jejum, todos nós teremos um culto de oração na segunda-feira, para quebrarmos o jejum e orarmos juntos clamando por cura.
              Estes são os irmãos e irmãs para quem estamos separando este dia de jejum e oração: Gary W., Nancy H., Aaron H., Victor B., Uri M., David S., Ahuva B., Leah K., Miriam K., Hannah K., Marcia S., Danah e Noaam, Alice, e Bida de Belo Horizonte, Brasil.
              Que Deus tenha misericórdia de todos nós e especialmente de Jerusalém, a cidade do grande Rei.

              Joseph Shulam

Por que as três semanas de luto no calendário judaico podem significar cura

No calendário secular é julho. No calendário judaico estamos em um período chamado de “As Três Semanas”. Este é o corredor entre dois aniversários doloridos: a data em que as antigas muralhas de Jerusalém foram violadas pela primeira vez e a data em que o Templo foi destruído. O que isso nos diz, como pessoas que se lembram dessas datas todos os anos? Será que é espiritualmente saudável nos atermos a feridas antigas?
              Nós vivemos simultaneamente em um tempo linear (que flui em uma direção) e um tempo mítico (o espiral anual que se repete). O calendário espiritual nos oferece pontos fixos, onde o tempo mítico tem um impacto no tempo linear e este é um destes pontos fixos. No meio da temporada de verão, tipicamente caracterizada por coisas como férias e acampamentos, o calendário judaico oferece uma interrupção para nos lembrar da tristeza.
              Podemos não “querer” esse lembrete. (Quem quer sentir dor – talvez especialmente em uma época do ano que é tão verdejante e bonita?) Mas acho que precisamos do lembrete... e acho que podemos nos apoderar dele para no ajudar a melhorar nosso interior. O desafio é nos permitir sentir nossa tristeza plenamente e então, (quando o tempo for apropriado), estar pronto e disposto a deixar essa tristeza ir embora por completo.
              A brecha na muralha antiga de Jerusalém é uma abertura paradigmática de integridade e plenitude para um quebrantamento. E como aqueles de nós que oferece cuidado pastoral bem sabem, toda tristeza que sentimos abre uma porta para todas as outras tristezas. Cada quebrantamento chama mais quebrantamento: seja a quebra de um casamento, de uma trajetória de vida ou de um coração cheio de mágoas.
              O calendário judaico nos dá essas Três Semanas como um tempo de sentir esse quebrantamento que caracteriza cada coração e cada vida. Essas semanas oferecem um convite, uma oportunidade para sentir o que machuca. Não porque ficaremos nesse estado de quebrantamento permanentemente, mas exatamente porque não ficaremos – e porque reconhecemos que o quebrantamento é o primeiro passo para a cura, como indivíduos e como comunidade.
              A quebra das muralhas da cidade há tanto tempo é um fato histórico. A queda do Templo é um fato histórico. Nós recobrimos essas histórias com a verdade psico-espiritual que, como Jerusalém, todos nós temos lugares quebrados, ou brechas. Como as muralhas de Jerusalém, nossos corações podem se sentir rachados e às vezes nossas vidas parecem escombros. As Três Semanas nos convidam a sentar sobre esses escombros e prantear... por um tempo.
              Todos nós temos datas importantes em nossas vidas, como o aniversário da data em que deixamos a escravidão no Egito (a Páscoa) ou a data em que o Templo caiu (o Tishá b’Av). Talvez para você seja um aniversário de casamento ou de um divórcio; de um diagnóstico, uma remissão, um novo emprego ou a morte de um ente querido. A data se torna cheia de significado. As Três Semanas são assim.
              Durante e depois dessas Três Semanas, nossa tarefa consiste de duas partes. Primeiro é notar e honrar onde nós estamos quebrados (ao invés de ceder ao impulso de cobrir com panos quentes esses lugares quebrados). E a segunda parte é nos desprender desses lugares quebrados. Ao sentir o que nos machuca, podemos transcender a dor. O objetivo não é marinar perpetuamente em traumas antigos, mas senti-los e então liberá-los.
              Esta é a instrução codificada em nosso calendário pelos sábios de minha tradição. Imediatamente após essas Três Semanas de luto e recordação, entramos no período de sete semanas de consolação. Após nos instruir a perceber e chorar por nossos lugares quebrados, os rabinos nos prescrevem um período de sete semanas de conforto. Essas sete semanas de conforto são nossa preparação para os Dias Temíveis.
              O ano novo virá, não importa o que. Mas se quisermos tirar o maior proveito da virada do ano, essas Três Semanas de luto pelo nosso próprio quebrantamento pode ser um impulso para crescimento pessoal. Essas semanas podem nos ajudar a abraçar as oportunidades das Festas Bíblicas que estão por vir para nossa edificação. Paradoxalmente, quando sentimos nosso quebrantamento plenamente, podemos nos tornar mais capazes de deixar esse quebrantamento para trás.
              Imediatamente após o Tishá b’Av, (aniversário da destruição do Templo), existe uma “virada” emocional e espiritual na direção da esperança. O pivô entre o luto e o consolo depende de nós: precisamos estar dispostos primeiramente a nos deixar sentir o que nos machuca em nossas vidas e no mundo ao nosso redor e então, deixar para trás essas mágoas e nos permitirmos sentir acolhidos, ouvidos e inteiros.

              Por Rachel Barenblat

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Para sempre Jerusalém



              Jerusalém é a eterna capital para os judeus, primeiramente, depois para os cristãos, mas nunca foi a capital para os muçulmanos. Na parte sul do Muro das Lamentações, alguém, no início do segundo século, riscou um grafite com o seguinte versículo: “E vós vereis e alegrar-se-á o vosso coração, e os vossos ossos reverdecerão como a erva tenra; então a mão do Senhor será notória aos seus servos, e ele se indignará contra os seus inimigos.” Isaías 66:14
              Todo o capítulo 66 do livro de Isaías fala sobre Jerusalém e o final do livro de Apocalipse é sobre Jerusalém. O general romano Tito cunhou uma moeda com a inscrição Judea Capita – o estado moderno de Israel cunhou uma moeda memorativa: Judea ReCapita. Não importa o que aconteça, hoje ou amanhã, Jerusalém sempre será reivindicada e o Trono de Misericórdia com Yeshua o Messias assentado nele será eternamente em Jerusalém e as nações virão para adorar o Deus de Abraão, Isaque e Israel – para sempre em Jerusalém.
              Deus abençoe a todos vocês,

              Joseph Shulam

domingo, 18 de junho de 2017

Presença messiânica na Semana do Livro Hebraico enfurece os ultra-ortodoxos

O presidente Reuven Rivlin e sua mulher visitam a Feira de Livro na Estação Central de Jerusalém.

              Ocorreu em Israel, na semana passada, a Semana do Livro Hebraico, um evento anual que tem duração de uma semana e celebra a literatura hebraica.
              O evento é marcado por feiras de livro em cidades por todo o país. E a presença de editoras de livro messiânicas em várias dessas feiras deixaram os judeus ultra-ortodoxos “anti-missionários” irritados.     
              Na verdade, o grupo anti-missionário por muitas vezes violento, Yad L’achim fizeram uma ocorrência policial após descobrirem um estande pertencente à editora “HaGefen”, na feira de livros da cidade de Rishon Letzion.
              A HaGefen é uma editora messiânica bastante conhecida. Entre os livros apresentados na feira, estava a série intitulada “O Testemunho”, que é uma tradução moderna da Bíblia, voltada para os jovens israelenses.
              O Yad L’achim alegou que os livros constituem “incitamento e solicitação de menor para conversão”.
              O que mais incomoda grupos como o Yad L’achim é que esses livros não são identificados como sendo “cristãos”.  Eles se recusam a aceitar que os judeus messiânicos são parte integral do povo judeu como um todo e de Israel.
              “Os compradores inocentes não sabem que esses são livros missionários que encorajam a conversão ao cristianismo”, constava na ocorrência feita pelo Yad L’achim.
              A HaGefen publicou uma nota respondendo que é registrada como uma organização sem fins lucrativos na cidade de Rishon Letzion por nada menos que 42 anos. Salientou ainda que a série de livros “ofensivos” “O Testemunho” consiste basicamente de uma tradução moderna literal da Bíblia.

              Fonte: Israel Today

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Lista de oração de Jerusalém – 1º de junho de 2017


              O Jubileu de Jerusalém (50 anos da Guerra dos Seis Dias, em 1967) foi realmente uma grande celebração, em Jerusalém. Turistas cristãos vieram de todas as partes do mundo, mas os sul-coreanos superou todos eles. Eles realizaram um festival chamado “Shalom Yerushalayim”, com shows coloridos e uma maravilhosa moda tradicional coreana. O público israelense compareceu ao Centro de Congresso Internacional, em Jerusalém, e encheram o local, assim como alguns rabinos e membros do parlamento de Israel e dos Estados Unidos, que também participaram. Em uma época quando as Nações Unidas estão fazendo declarações que são distantes da realidade e da Bíblia, esses milhares de cristãos têm vindo e se juntado a Israel e a Jerusalém para celebrar o Jubileu de Jerusalém junto com o povo de Israel. Por favor, continuem orando por Israel e por Jerusalém e não se esqueçam de orar pelo Netivyah e por todos os maravilhosos projetos que tem executado todos esses anos. Jerusalém precisa de suas orações e o Netivyah precisa de suas orações. É responsabilidade de todo discípulo de Yeshua e seguidor do Caminho fazer o bem a todas as pessoas, mas primeiro aos da fé.
              Eu vou manter essa lista de oração curta devido à restrição de tempo, mas peço que vocês orem pelas seguintes necessidades que temos no Netivyah. Suas orações serão ouvidas no céu e oramos e esperamos que o Senhor responda suas orações e diga: “Muito bem, servos bons e fiéis! Vocês oraram por Jerusalém e pelos santos em minha cidade e fizeram o que puderam para ser uma benção em suas ações e doações.”
              Semana que vem, Marcia e eu viajaremos para a Finlândia por 8 dias, para realizar o seminário anual em Karmel Koti e visitar a congregação em Espoo e outros irmãos e irmãs na Finlândia.  Da Finlândia, viajaremos para os Estados Unidos, para participarmos da Celebração de Verão em Lipscomb e também para reunirmos com irmãos e irmãs para encorajá-los e sermos encorajados também. Precisamos de suas orações para essa viagem, por segurança e para que Marcia e eu nos sintamos bem e sejamos capazes de ministrar e ensinar nossos irmãos na Finlândia e nos Estados Unidos.
              Precisamos de suas orações pelo Netivyah USA. Nossos diretores irão se reunir no final de junho para tomar importantes decisões e adicionar um novo membro diretor. O Netivyah USA precisa de suas orações.
              Por favor, orem pelo Kol HaYeshua. Precisamos avançar e transmitir em rádio FM, mas não tivemos sucesso em encontrar uma rádio comercial local que queira trabalhar conosco. Peço suas orações por esse projeto. A Rádio Kol HaYeshua é a única rádio no mundo a transmitir as boas novas do Messias na língua hebraica sete dias por semana. Estamos adquirindo novos equipamentos para a gravação na rádio e para gravação em vídeo também e precisamos de ajuda com os custos. Estamos comprando boas câmeras, de alta qualidade, para gravarmos programas para o YouTube e outros canais. A liderança jovem do Netivyah está convencida de que a mídia eletrônica é a forma de alcançar o maior número de pessoas com um custo razoável. O Netivyah está se movendo nesta direção e o Barry já encomendou os equipamentos necessários para fazermos um excelente trabalho.
              Por favor, continuem orando por minha família, Marcia, Danah, nossa filha e Nooam, nossa neta. Orem também pelo Barry, nosso filho e Joey, nosso neto e Beth, nossa nora. E também pela família da Marcia, no leste do Tennessee.
              Que Deus abençoe todos vocês que oram pela salvação de Israel e do mundo. Todos nós precisamos expandir nossos horizontes e ter pelo menos o sonho e o desejo de ver todo o mundo prostrado diante do Rei dos Reis e Senhor dos Senhores, vestidos de branco, naquele dia em que a trombeta soará e os mortos ressuscitarão. Se não tivermos esse desejo, não faremos nada para que isso aconteça. Se não tivermos fé, não focaremos no desejo do coração de Deus.   
              Joseph e Marcia Shulam
PS. Por favor, orem pelos irmãos coreanos, chineses e americanos que estão visitando Israel no momento.

PS2. Por favor, orem especialmente pela congregação Sar-El, em Curitiba, no Brasil. Esta querida congregação precisa de uma ajuda especial e uma inspiração divina e do Espírito Santo, a fim de encontrar paz entre sua liderança. 

quarta-feira, 31 de maio de 2017

A judaicidade pode ser comprovada com um teste de saliva?


              Um grupo de especialistas em genética e Halachá (lei religiosa judaica), que tem estudado o chamado “gene judaico”, afirmam que o gene pode ajudar a provar a “judaicidade” de alguém, de acordo com a lei religiosa judaica.  
              “Este pode ser um avanço significativo”, explicou o Rabino Yosef Carmel, líder da corte rabínica Gazit e do Instituto de Estudos Judaicos Avançados Eretz Hemdah. De acordo com Carmel, “o uso de um simples teste de saliva pode impedir um longo e difícil processo de conversão”.
              Qualquer pessoa que deseja ser reconhecida como judeu – por exemplo, a fim de se casar no Estado de Israel, o que apenas pode ser realizado através do Rabinato Chefe – tem que provar suas raízes judaicas. Na lei religiosa judaica, apenas aqueles nascidos de mães judias são considerados judeus. Aqueles que desejam ser reconhecidos como judeus têm que providenciar prova de judaicidade através de documentos, como certidões de nascimento e casamento, de várias gerações passadas.
              Isso pode ser um problema para mais de 400.000 pessoas, particularmente imigrantes e principalmente da antiga União Soviética, que não possuem os documentos necessários.
              As pessoas que não conseguem provar suas raízes judaicas são consideradas “indefinidas”, e tais candidatos têm que se submeter a um longo e tedioso processo de conversão, o qual alguns gostariam de evitar e muitos não conseguem completar.
              Atualmente, o Instituto Eretz Hemdah está preparando um artigo para ser submetido ao Rabinato Chefe detalhando um avanço haláchquico-científico, onde atesta que qualquer pessoa que consegue provar sua judaicidade geneticamente é legalmente (no senso legal judaico) judeu.
              “Nos últimos anos, (pesquisadores) em Israel e no mundo têm estudado o DNA mitocondrial – estruturas dentro das células – que a pessoa recebe de sua mãe”, explicou o Rabino Dov Popper, um conselheiro do Instituto Puah, uma organização internacional baseada em Israel que ajuda casais judeus com problemas de fertilidade.
              “Podemos encontrar esse gene com um simples exame de sangue ou de saliva. Assim que você encontra o gene mitocondrial em uma pessoa, isso serve como uma peça considerável de evidência que prova sua raiz judaica”, disse o Rabino Popper.
              “Se a pesquisa do gene for aceita pelo Rabinato Chefe, isso poderia ser uma mudança significativa para centenas de milhares de pessoas que são consideradas ‘indefinidas’”, disse o Rabino Carmel.
              O avanço será apresentado em uma conferência especial sediada pelo Instituto Puah, em Jerusalém, no dia 6 de junho.
              “Começamos a pesquisar sobre isso por causa da questão da doação de óvulos e as ramificações que teria na judaicidade do recém-nascido”, explicou o Rabino Menachem Burstein, diretor do Instituto Puah.
              “No entanto, é importante notar que essa descoberta não terá uso prático até ser aprovada pelo Rabinato Chefe”, acrescentou.  

              Fonte: Ynet News

terça-feira, 9 de maio de 2017

A comunidade messiânica de Israel lamenta e se lembra de um pastor pioneiro




              O pastor David Davis, um dos principais líderes messiânicos de Israel, faleceu. Davis tinha 79 anos de idade quando ele finalmente sucumbiu, após uma intensa batalha contra o câncer, durante o ano passado. Ele deixa sua mulher Karen e seus dois filhos adotivos.
              Líderes messiânicos de todo Israel e de todo o mundo estão inundando as mídias sociais com expressões de amor e apreço por seu amigo falecido. Durante seus 25 anos de ministério em Israel, David ganhou o respeito de muitos líderes messiânicos em uma terra onde construir comunidades messiânicas não é uma tarefa fácil. Seu estilo simpático e ao mesmo tempo ousado de liderar, sua disposição em encorajar futuros líderes e sua paixão pela unidade do corpo do Messias eram admirados, mesmo por aqueles que duvidavam que um cristão americano podia causar algum impacto significativo nas vidas de árabes e judeus em Israel. Incluindo eu.
              Eu me lembro da primeira vez que conheci o pastor David, quando ele chegou em Israel, na década de 80. Ele havia sido enviado por David Wilkerson, da Igreja da Times Square, em Nova Iorque, com uma visão de levar árabes e judeus viciados em drogas ao conhecimento de Cristo. “Árabes e judeus?”, eu perguntei a ele. “Juntos?”
              Eu estava cético, até que o David me pediu para ministrar um estudo bíblico em um pequeno grupo de viciados em recuperação que ele havia formado. Eles não queriam palavras difíceis ou ginástica teológica. Apenas Jesus, porque esses árabes e judeus viciados em recuperação sabiam mais que tudo que havia sido Ele que os trouxera de volta à vida e ensinado a eles que árabes e judeus podem viver juntos, pertencer juntos.
              A paixão de David pelo perdido inspirou muitos árabes cristãos e judeus messiânicos por todo país a alcançar viciados em drogas. Após ver o poder de Deus trabalhando na vida desses homens quebrantados, eu também comecei um ministério com viciados em drogas em Tel Aviv.
              David foi o pastor fundador da Kehilat Ha Carmel (Assembléia Carmel), no monte Carmelo, uma congregação que começou em 1991 como um estudo bíblico para homens que estavam se libertando do vício das drogas e do álcool. Foi durante esses dias que uma grande leva de judeus russos estava retornando à sua casa, sob o bombardeio de mísseis SCUD pelo ditador iraquiano, Saddam Hussein. Não se deixando intimidar e inspirado pela corajosa liderança de David, surgiu uma comunidade de judeus e árabes crentes, alcançando pessoas de todas as origens, através de ministérios que continuam até os dias de hoje, como o Centro de Reabilitação Casa da Vitória, o abrigo para mulheres Or HaCarmel, o programa de distribuição de alimentos Cesta do Corvo e o centro de distribuição de roupas Manto de Elias.
              O dr. David Davis era o presidente da Faculdade de Artes, da Universidade de Fordham, no Lincoln Center, em Nova Iorque, enquanto trabalhava como um ator profissional na Broadway e na televisão. Em meados da década de 80, off-Broadway e na televisão. Em meados dos anos 80, no meio de uma carreira de sucesso, ele teve um encontro dramático com Jesus, durante um reavivamento entre os artistas de Nova Iorque, onde ele conheceu sua esposa judia, Karen.
              Ele foi logo chamado para o ministério e começou a trabalhar com viciados e mendigos, sob a liderança de David Wilkerson, na Igreja da Times Square, em Nova Iorque. Em 1989, David e Karen imigraram para Israel e se tornaram cidadãos. Em seu livro, “A Estrada para o Carmelo”, Davis registra em crônicas sua jornada do mundo do espetáculo da Broadway às montanhas de Israel.
              “Eu ainda me lembro das palavras de encorajamento de Davis em suas orações”, disse Zvi Randelman, um pastor judeu messiânico, de Jerusalém. “Ele tinha um coração de pai pelo perdido, viciado e desesperado. Ele foi instrumental no estabelecimento da Beit HaYeshua, um ministério de recuperação de viciados em drogas, em Jerusalém. Incontáveis viciados em drogas e alcoólatras devem suas vidas ao trabalho de amor e inspiração de David. Agora, David está no céu com o Senhor, e eu tenho certeza de que quando ele entrou na presença de Yeshua, ele ouviu as seguintes palavras: Muito bem, servo bom e fie, entra no gozo do Teu Senhor.”

              Fonte: Israel Today / David Lazarus  

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Lista de Oração de Jerusalém – 4 de maio de 2017

NOTÍCIA: A UNESCO nega a soberania de Israel sobre Jerusalém, numa votação de 22 votos a favor e 10 contra. Mais uma vez, a UNESCO aprova uma resolução anti-Israel, anti-histórica, anti-lógica e anti-bíblica. Os Estados Árabes têm uma maioria automática em toda a ONU. Eles conseguem aprovar resoluções que atestam que a lua é feita de queijo suíço, roubado da casa de Hag Amin El-Hussein por judeus que morreram no holocausto e a ONU aprovaria a resolução e condenaria Israel. Para nós, que cremos na Palavra de Deus e nas promessas de Deus a Abraão, Isaque e Jacó, não importa o que os muçulmanos e os árabes (palestinos, sauditas, iranianos, iraquianos, sírios, jordanianos, Hezbolá, Hamas, ISIS, etc.) dizem, o importante é o que os judeus e Israel fazem. A existência do Estado de Israel e do povo judeu por quase 4.000 anos é uma promessa divina feita a nossos patriarcas, Abraão, Isaque e Jacó. É uma promessa que tem se cumprido apesar de parecer impossível e tem provado demonstrar a fidelidade do Senhor durante todo esse tempo.
              Então, o que os judeus e não judeus crentes na Bíblia devem fazer a respeito dessa injustiça internacional e mentira descarada?
1.       Orem por Israel em obediência às promessas de Deus.
2.       Apoiem Israel.
3.       Onde houver uma demonstração pró-Israel em sua cidade, os discípulos de Yeshua devem participar e ser os primeiros da fila. Devem carregar cartazes dizendo:
a.       Deus ama Israel.
b.       Jesus ama Israel.
c.       Os cristãos amam Israel.
d.       Apoiamos Israel porque Deus apoia Israel.
e.       Israel é a menina dos olhos de Deus.
4.       Apoiem as causas judaicas em seu país e em sua cidade, participando das atividades propostas pela comunidade judaica, como celebrações da Independência de Israel e outros eventos que celebram Israel.
5.       Apoiem os judeus discípulos de Yeshua na terra de Israel, orem por eles e por suas congregações e suporte financeiramente projetos idôneos feitos em Israel, com bom e saudável testemunho do amor e da salvação de Deus.
Esta é a melhor forma de apoiar Israel, não apenas com palavras, mas também com atitudes.
Todos nós sabemos que no fim todas as promessas de Deus se cumprirão, Yeshua irá voltar e os mortos ressuscitarão e todo Israel será salvo. Por agora, devemos nos colocar na brecha, combater o bom combate e depositar nossa confiança no Deus Todo Poderoso e demonstrar nosso amor e tenacidade permanecendo firmes na Palavra de Deus.
Devemos saber que às vezes o inimigo usa a Palavra de Deus e deturpa seu significado claro e simples. “E disse o Senhor a Abrão...: Levanta agora os teus olhos, e olha desde o lugar onde estás, para o lado do norte, e do sul, e do oriente, e do ocidente; Porque toda esta terra que vês, te hei de dar a ti, e à tua descendência, para sempre. E farei a tua descendência como o pó da terra; de maneira que se alguém puder contar o pó da terra, também a tua descendência será contada. Levanta-te, percorre essa terra, no seu comprimento e na sua largura; porque a ti a darei. E Abrão mudou as suas tendas, e foi, e habitou nos carvalhais de Manre, que estão junto a Hebrom; e edificou ali um altar ao Senhor. (Gênesis 13:14-18)
A promessa de Deus para Israel aparece em outros lugares na Bíblia. Apenas em Gênesis, confira: 15:7-18; 17:7-8, 18:18, 24:7, 26:3-4, 28:4-13, 31:3, 35:12, 46:3, 48:4, 50:24. A mesma promessa de terra aparece muito mais vezes em toda a Bíblia.
Celebramos os 69 anos do Dia da Independência de Israel em um parque, em Jerusalém. Como a maioria dos israelenses, tínhamos muita comida boa, duas grandes churrasqueiras portáteis, onde as pessoas cozinharam carne e frango e muita salada. Teve até o delicioso brownie da Marcia. Foi um tempo de cheio de alegria e muita discussão sobre a Palavra de Deus.
Precisamos de suas orações pela jovem liderança do Netivyah e também pela velha liderança, que somos eu e a Marcia.  Peço para que orem pela saúde da Marcia e pelo meu fortalecimento. Nossa agenda de viagem para esse verão será extensa e eu preciso de orações por segurança, fortalecimento e sabedoria de Deus para muitas e muitas horas de ensino. Saímos de Israel em direção à Finlândia no dia 8 de junho e depois viajamos para os Estados Unidos. A Marcia ficará nos EUA de 17 de junho a 28 de agosto. Ela precisa muito de oração pela sua saúde, sua memória e suas viagens entre nossos filhos e netos e sua família, no leste do Tennessee e de volta para casa, em Israel. Eu preciso de oração pelas mesmas coisas que a Marcia. Meu programa de viagem é um pouco mais extenso. Eu saio de Israel no dia 8 de junho com a Marcia e viajamos juntos para os Estados Unidos. Depois eu volto para casa no meio de junho e viajo no final de junho para o Extremo Oriente, Japão, Hong Kong, Taiwan e volto para Israel alguns dias antes da Marcia, para preparar a casa para recebe-la. Por favor, orem por nós.
No momento, a Marcia está com bronquite e a Danah também. O Barry está sofrendo com alergias e recentemente descobriu algo no seu coração chamado taquicardia supraventricular. Nossa família precisa de uma oração especial pelo nosso filho. Todos nós precisamos da graça e da cura de Deus. Claro, nossos netos estão basicamente saudáveis, com um problema que irá passar em alguns anos: Adolescentite! Eles também precisam de suas orações e mais ainda seus pais precisam de oração!
Os diferentes ministérios do Netivyah estão indo muito bem sob a liderança do Yuda, Daniel, Nancy, Hannah e Oleg. Eles estão realizando o Hamotzi – programa de distribuição de alimentos – para os necessitados de Jerusalém. A cada quarta-feira, das 14:00 às 18:15h, o primeiro andar do nosso prédio se transforma em um supermercado, onde as pessoas que são aprovadas pela prefeitura de Jerusalém podem vir e escolher alimentos de alta qualidade para suas famílias.
O fundo de bolsas para estudantes em instituições israelenses do Netivyah está indo bem e a demanda para mais bolsas é constante. Se tivéssemos mais recursos, poderíamos fazer ainda mais no próximo ano. Estamos abençoando a próxima geração de discípulos de Yeshua na terra de Israel. Este é um investimento para o futuro da comunidade de discípulos na terra. Estamos provendo a quantia de 200 dólares por mês para mais de 19 alunos, alguns judeus e alguns árabes. Você também pode investir no futuro do corpo do Messias em Israel contribuindo com o fundo de bolsas para estudantes do Netivyah.
A rádio Kol HaYeshua transmite diariamente em frequência AM. Precisamos de suas orações para fazer a transmissão desses importantes e valiosos ensinos feitos por judeus, para judeus, sobre o Messias judeu em frequência FM. AM tem uma audiência muito limitada em Israel. A maioria das pessoas que ouvem rádio ao redor do mundo, ouvem estações em FM. Precisamos de suas orações para que Deus nos ajude a fazer essa mudança.
Em algumas semanas, uma nova revista Teaching from Zion (Ensino de Sião) será lançada. Essa nova edição será sobre o rei Davi. Como todas as revistas Teaching from Zion, está será extremamente interessante e a novidade que você terá acesso a um maravilhoso artigo escrito por um jovem que cresceu no Netivyah, terminou o serviço militar obrigatório e agora é um aluno na Universidade Hebraica de Jerusalém. Ele fazia parte do nosso grupo de jovens chamado Munchkins.
O ministério de ensino do Netivyah também tem feito coisas maravilhosas, porque muitos dos homens em nossa congregação são excelentes mestres. Neste verão, irei levar comigo o Daniel Stern na viagem ao Extremo Oriente. Ele ensinará em Taiwan e no Japão. Enquanto eu estou fora do país, os homens da congregação se revezam no ensino e essa competição saudável me deixa muito feliz.
Agora vamos à lista de pessoas que precisam de oração por cura ou por libertação em sua vida.
Obrigado por suas orações por meu filho Barry. Sua cirurgia curou completamente e somos gratos pelas orações. Continue orando por sua saúde. Na Holanda, orem por Tineke, que está lutando contra um câncer pela segunda vez e precisa da graça, da cura, e da força de Deus para vencer mais uma vez.
Por favor, não se esqueçam de orar pela família Shkedi. Especialmente pelo Ynon – o bebê que precisa de cura e força e sua família precisa de encorajamento e força.  
Kari A., um querido irmão da Finlândia, realizou uma cirurgia de cólon na semana passada e houve complicações e Kari precisa de suas orações de uma forma muito intensa.
Peço uma oração especial para os irmãos e irmãs na Finlândia: Keijo e Salme, irmã Airi, Anne-Mirjami, Anna Majia, Satu-Maria e suas filhas, Tim Tucker, Erki e Sirpa e pelos membros finlandeses de nossa Congregação Roeh Israel: Leah K., Ahuva B., Ilana H. Também peço oração pelos seguintes membros de nossa congregação em Jerusalém: David S., Sarit, Miriam, Hannah, Greg, Yuri M., que está no hospital com sérios problemas nos rins e  Daniel P., que está no hospital se recuperando de um grave acidente de moto. Os irmãos nos Estados Unidos que precisam de oração por cura são: Emmet, Boby, Ruby, John M., Aaron H., John M., Liz Johnson, Horace e June S.  Irmãos e irmãs que precisam de cura no Brasil: Paulo, Naomi, Clara, os pais do Marcelo, especialmente sua mãe. No Japão, os seguintes irmãos e irmãs precisam de oração por cura: Pra. Curita, Toru, Tomoko San, Sadako San, Takeo Sensei, and Daisuke Sensei, e o marido da irmã Yumi.
A lista de irmãos e irmãs que precisam de fortalecimento e de uma benção especial em suas casas e nos seus negócios: a família Goh está sob muito estresse e precisa de sabedoria, proteção e um reavivamento do sucesso no novo caminho que Deus está preparando para eles. A irmã Christy, a irmã Laurel, o irmão Michael Kenzevic, o Daniel L., todos precisam de sucesso e prosperidade em sua vida e trabalho. Orem por um querido irmão na Finlândia, seu nome é David. Orem para que Deus possa prover um bom emprego para o David que irá honrar seus dons e sua família.
Orem pelo Roger, um querido irmão que apoia tantos trabalhos e um deles é o Netivyah. Ele precisa de sabedoria e paz e sucesso em seu trabalho e na sua vida.
Deus abençoe todos vocês que oram pela salvação de Israel e do mundo. Todos nós precisamos expandir nossos horizontes e ter pelo menos o desejo de ver todo o mundo prostrado e com os joelhos dobrados perante o Rei dos Reis e Senhor dos Senhores, vestidos de branco naquele dia em que a trombeta tocará e o morto ressuscitará. Se não tivermos esse desejo, não faremos nada para que isso aconteça. Se não tivermos fé, não focaremos nos desejos e intentos do coração de Deus.

Joseph e Marcia Shulam