segunda-feira, 13 de março de 2017

Lista de oração de Jerusalém – 9 de março de 2017


              Neste domingo que passou foi a Festa de Purim na terra de Israel. Nesta segunda é a Festa de Purim em Jerusalém. A razão para essa diferença é que Jerusalém é uma cidade murada e no livro de Ester está escrito: “Também os judeus, que se achavam em Susã se ajuntaram nos dias treze e catorze do mesmo; e descansaram no dia quinze, e fizeram, daquele dia, dia de banquetes e de alegria.” (Ester 9:18). Susã era uma cidade murada, uma cidadela, por isso eles celebraram e descansaram no dia quinze. Em Tel Aviv, no resto do país e nas cidades da diáspora que não são muradas, a Festa de Purim é celebrada no dia 14 do mês de Adar, mas em Jerusalém e nas cidades muradas, celebra-se no dia 15 de Adar. Os nomes dos meses no calendário judaico foram adotados durante o período de Esdras, após o retorno do exílio babilônico. Os nomes são nomes dos meses babilônicos, trazidos de volta a Israel com o retorno dos exilados. Essencialmente, são nomes pagãos. Alguns nomes são como os nomes dos meses em grego e em inglês, baseados em ídolos pagãos. Os nomes originais da Bíblia são essencialmente os números dos meses. Como Nissan é o primeiro mês e Adar é o mês de número 12 no calendário hebraico original. Como vocês podem ver, os nomes babilônicos são incluídos na Bíblia Hebraica apenas nos livros escritos após o exílio. Livros como Ester, Esdras, Neemias foram escritos durante o exílio e após o exílio eles incluíram esses nomes babilônicos para os meses. É como se os judeus americanos tivessem uma árvore de Hanuká – como a árvore de Natal. O livro de Ester quase não foi incluído na Bíblia Canônica. Existem três razões pelas quais ele foi quase rejeitado no Concílio de  Jamnia, em 90 d.C. As razões para a rejeição do livro de Ester foram: 1) O nome de Deus não aparece no livro de Ester. Não há menção de Deus, mas qualquer um que lê o livro sente que Deus está por trás de todos os eventos. 2) O caráter moral do livro é questionável do ponto de vista da moralidade da Torá. Mordecai instruiu Ester a mentir sobre sua identidade. Ele envia Ester para ser concubine na corte de um rei pagão, que com certeza não possuía comida Kasher em seu palácio. A terceira razão é que os judeus de Susã pareciam agir vingativamente e como gangues sedentas por sangue, estavam ansiosos por matar mais persas. Estamos todos felizes que no final, aqueles rabinos em Jamnia que entenderam a importância deste livro e viram inspiração divina na estória, apesar de o nome de Deus não aparecer, foram os que ganharam os argumentos e o livro de Ester está hoje na Bíblia.
Este shabat que passou é chamado em hebraico “Shabat Zachor” – zachor  significa “lembrar”. A leitura especial deste sábado é: “Lembra-te do que te fez Amaleque no caminho, quando saías do Egito; Como te saiu ao encontro no caminho, e feriu na tua retaguarda todos os fracos que iam atrás de ti, estando tu cansado e afadigado; e não temeu a Deus. Será, pois, que, quando o Senhor teu Deus te tiver dado repouso de todos os teus inimigos em redor, na terra que o Senhor teu Deus te dá por herança, para possuí-la, então apagarás a memória de Amaleque de debaixo do céu; não te esqueças.” (Deuteronômio 25:17-19)
              Algumas coisas não valem a pena serem lembradas e é melhor esquecê-las. No entanto, algumas coisas precisam ser lembradas porque aqueles que não se lembram estão fadados a repeti-las. Deus ordena Israel se lembrar do que Amaleque fez aos israelitas no deserto do Sinai. O rei Saul perdeu seu reino porque ele não se lembrou do que Ameleque havia feito a Israel e salvou Agague, o rei dos amalequitas (veja 1 Samuel 15). O livro de Ester nos leva de volta a este evento. Mordecai e Ester (o nome de Ester em hebraico é Hadassa) são da tribo de Benjamin, a mesma tribo do rei Saul. Hamã, que queria matar o povo judeu no império persa, era um descendente de Agague, o rei amalequita que Saul poupou. A estória de Ester é uma continuação direta e uma conseqüência do que o rei Saul se negligenciou a fazer. (Veja:”Havia então um homem judeu na fortaleza de Susã, cujo nome era Mardoqueu, filho de Jair, filho de Simei, filho de Quis, homem benjamita.” (Ester 2:5) “Depois destas coisas o rei Assuero engrandeceu a Hamã, filho de Hamedata, agagita, e o exaltou, e pôs o seu assento acima de todos os príncipes que estavam com ele.” (Ester 3:1)
              Claro, a proximidade de Purim com o período católico do carnaval na Europa e as práticas pagãs do carnaval influenciaram os judeus europeus a copiar as máscaras e o costume de beber dos pagãos europeus e esta prática encontrou solo fértil nestes versos do livro de Ester: “Também os judeus, que se achavam em Susã se ajuntaram nos dias treze e catorze do mesmo; e descansaram no dia quinze, e fizeram, daquele dia, dia de banquetes e de alegria.” (Ester 9:18) e então você tem Purim como carnaval, mas ao menos sem quaresma. Como vocês sabem, ninguém é perfeito!
              Nosso primeiro-ministro foi a Moscou por um dia, para se encontrar com o presidente Putin. Eu suponho que Netanyahu tenha ido lá para falar com Putin sobre o Irã e sua expansão no Líbano e na Síria. Netanyahu teme que quando a guerra contra o ISIS terminar, os persas, que são fortes apoiadores do presidente Assad da Síria e do Hezbolá, no Líbano, irá querer permanecer na Síria e no Líbano com o intuito de começar uma guerra contra Israel, tanto no Golan, ao sul da Síria, quanto no sul do Líbano. Por favor, orem pelo Netanyahu e por Israel. Não queremos uma guerra contra o Irã em nossas fronteiras ao norte. Já temos problemas suficientes com o Irã, problemas esses que foram realçados pelo presidente Obama, que ignorou todos os fatos e fez um acordo com o Irã, permitindo que ele continue seu desenvolvimento nuclear e investindo bilhões de dólares para reconstruir sua economia. Israel precisa de suas constantes orações para que o Senhor pare o programa nuclear do Irã e para que o Irã pare suas agressões contra Israel. Irã está a mais de 3.000km de distância das fronteiras de Israel. Está tão distante de Israel quanto Istambul, na Turquia, ou Atenas, na Grécia. Apenas Deus pode fazê-lo e oramos e pedimos para que Ele o faça.
              Orem por nossos irmãos e irmãs no Japão! Eles estão passando por um período de transição na liderança e a nova liderança precisa de suas orações. Que o Senhor Deus de Israel dê ao novo líder Seu Santo Espírito, sabedoria e conhecimento para reavivar e reequipar os irmãos e irmãs para o cumprimento de sua visão, missão e objetivos.
              Nosso filho Barry está bem melhor e a incisão da cirurgia está fechando e cicatrizando. Obrigado por suas orações pelo Barry e, por favor, continuem orando.
              Orem pela saúde da Marcia. Orem também pela Danah e Noam. Elas precisam de suas orações.
              Orem pelo Kol HaYeshua – estamos orando e buscando maneiras de fazer com que nossa transmissão seja mais efetiva e beneficie mais pessoas em Israel e em todo Oriente Médio.
              Orem pelo programa de distribuição de alimentos – HaMotzi. Aumentamos o número de beneficiados. Estamos atendendo mais de 30 famílias do departamento de Serviço Social de Jerusalém. Gostaríamos de expandir para novos bairros de Jerusalém. A razão para isso é a pobre situação desta cidade. Temos um grande número de cidadãos em Jerusalém que não trabalham e não pagam impostos. Uma grande parte da população é da comunidade judaica ortodoxa e outra é dos bairros árabes. Outra razão para a pobreza é a falta de empregos em Jerusalém. A população jovem e talentosa está se mudando para a região de Tel Aviv, onde há mais oportunidade de emprego e onde está o pólo tecnológico. O programa HaMotzi é um dos mais estimados, tanto por quem recebe quanto pela cidade de Jerusalém.
              Por favor, orem pela produção de mídia do Netivyah. Semana passada estivemos na América do Sul e tantas pessoas mencionaram o quanto elas aprendem através do You Tube e de nossa página na internet. Queremos expandir esta área de nosso ministério e precisamos de orações, fundos e energia para darmos nosso melhor no ensino. A mídia é a melhor maneira de alcançarmos essa nova geração. Ler livros é para a geração passada. Cumprimos a profecia de Marshall McLuhan, mídia é mensagem. Precisamos comprar novos equipamentos e precisamos de muita inspiração para fazer o melhor trabalho em espalhar as boas novas. As boas notícias são a única cura para as falsas notícias.
              Que Deus abençoe todos vocês que oram pela paz de Jerusalém. Que o Deus de Israel e Pai de nosso Messias Yeshua dê a vocês todas as bênçãos que Ele prometeu àqueles que abençoassem a semente de Abraão – Israel.
              Que o Senhor mantenha Suas bênçãos fluindo para você e através de você para todo o corpo do Messias ao redor do mundo.

              Joseph Shulam