segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Lista de oração de Jerusalém – 30 de dezembro de 2016


              A leitura deste shabat nas sinagogas é no livro de Gênesis 41:1-44:17. O nome em hebraico desta porção é Mikêtz. Esta é a parte central da história de José, no Egito, e o interlúdio entre José e seus irmãos. Eu quero concentrar no sucesso de José em meio à sua difícil jornada. Normalmente, uma pessoa que é jogada na prisão por acusações falsas, mesmo sendo libertada, não sobe ao topo da liderança no Egito. Veja como Gênesis descreve a posição de José no Egito: “Disse mais Faraó a José: Vês aqui te tenho posto sobre toda a terra do Egito. E tirou Faraó o anel da sua mão, e o pôs na mão de José, e o fez vestir de roupas de linho fino, e pôs um colar de ouro no seu pescoço. E o fez subir no segundo carro que tinha, e clamavam diante dele: Ajoelhai. Assim o pôs sobre toda a terra do Egito. E disse Faraó a José: Eu sou Faraó; porém sem ti ninguém levantará a sua mão ou o seu pé em toda a terra do Egito.” (Gênesis 41:41-44)
              Então, qual o segredo do sucesso de José no Egito? Semana passada eu escrevi sobre o otimismo e a confiança sem fim de José nas visões e sonhos que Deus havia dado a ele. Esta semana quero analisar brevemente o seu sucesso perante Faraó e os egípcios.
1.       José está na prisão – ele está fazendo aquilo que sabe fazer melhor. Ele não se importa de servir e ser prestativo aos egípcios. Não há amargura em seu coração.
2.       Ele está aceitando as circunstâncias e faz o melhor para ser sincero e honesto com todos ao seu redor.
3.       Ele dá o melhor conselho a Faraó e a seus homens sobre o que é melhor para o Egito. (José não tem dupla lealdade. Agora que ele está integrado como um egípcio, ele não se esquece de suas origens, mas ele dá 100% de suas habilidades para ser uma bênção para o Egito. Isso é importante, porque temos metade da população de judeus espalhados pelo mundo e muitos tipos de José são servidores públicos nos Estados Unidos e trabalham em secretarias de fazenda. São líderes da pirâmide financeira nos Estados Unidos e salvaram por diversas vezes esse país da falência. O legado de José no Egito é similar ao de muitos judeus que foram bem sucedidos e prosperaram em seus países, não só nos Estados Unidos, mas também na Europa e na América do Sul.
4.       Judeus como José no Egito se esforçam para se destacar em seus trabalhos e empregos na diáspora.
5.       José não apenas deu a interpretação para o sonho de Faraó, mas também deu conselhos práticos de como evitar a fome e o sofrimento dos egípcios durante os sete anos magros.
6.       José se fez útil em todos os lugares por onde passou. Ele deu o seu melhor para servir tanto os amigos quanto aqueles que eram menos que amigos. Apenas pense sobre isso, ele era escravo na casa de Potifar e ainda assim realizou um trabalho tão bom como escravo que Potifar o colocou como chefe da sua casa.
Se você se sente rejeitado pelas pessoas em seu trabalho e seu coração está amargo e você tem inveja das pessoas, pare! Comece a procurar por maneiras de abençoar e servir e se destacar em qualquer trabalho que você tenha que fazer, mesmo que seja sem importância ou indigno para você. Siga o exemplo de José, não importa onde você esteja, não seja um alienado, encontre um lugar onde você possa contribuir e dar o seu melhor! Depois disso, apenas espere no Senhor e ore!
Nesta última semana celebramos o Festival de Hanuká. Hanuká é mencionado em João 10:22 – “E em Jerusalém havia a festa da dedicação, e era inverno.” Na verdade, essa é uma das primeiras menções de Hanuká (ou Festa da Dedicação). Na primeira noite de Hanuká, o Conselho de Segurança da ONU votou uma das decisões mais ultrajantes anti-Israel. A decisão foi aprovada porque os Estados Unidos, que têm o poder de veto, se abstiveram. Primeiramente, eu gostaria de pedir que você orasse e orasse fervorosamente a favor de Israel, Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, Alemanha, Angola, Nova Zelândia, Rússia, Ucrânia e outros. Nos últimos anos, o Conselho de Segurança da ONU votou 20 vezes contra Israel. Durante este tempo, a Síria matou cerca de 800.000 pessoas e sendo mais de 200.000 cristãos – e o Conselho de Segurança da ONU não passou nenhuma resolução contra a Síria. Existe uma guerra sangrenta no Sudão do Sul contra os cristãos e o Conselho de Segurança da ONU é surdo e mudo e não votou nenhuma resolução, nenhuma condenação. Iraque e Turquia e outros cometeram crimes contra a humanidade, prenderam dezenas de milhares de pessoas sem provas, executaram pessoas sem o devido processo legal. As Nações Unidas têm sido como os três macacos: não vê nenhum mau, não fala nenhum mau, não ouve nenhum mau, para todo o mundo. Apenas para Israel eles usam o Telescópio Hubbard para ver as maldades que não existem a fim de condenarem Israel. Vou dizer a vocês, queridos amigos ao redor do mundo, quais as conseqüências das decisões da ONU para os judeus e para os cristãos!
 Essa é uma das afirmações mais sem sentido nessa resolução: o Conselho de Segurança da ONU “não reconhecerá qualquer mudança nas fronteiras de 4 de junho de 1967, incluindo com relação à Jerusalém, com exceção daquelas acordadas entre as partes através de negociações”e “convoca” a todos os Estados a “distinguir, em suas relações pertinentes, entre o território do Estado de Israel e os territórios ocupados desde 1967”.
Esta declaração, por si só, está afirmando que Jerusalém Oriental é um território ocupado, incluindo a cidadela de Davi. Hebron, a primeira capital real do rei Davi, é território ocupado… e por isso, de acordo com a ONU, não pertence a Israel e Israel não pode construir ou mudar nada em “territórios ocupados”. Pense sobre a resolução aprovada pela UNESCO, onde afirma que Jerusalém Oriental, incluindo o Muro das Lamentações e a cidade de Davi, não tem nada a ver com os judeus – pertence ao árabes/palestinos. Agora o Conselho de Segurança da ONU vota que Israel não pode mudar nada desde 1967. Bem, eu andei pelas ruas da cidade antiga de Jerusalém em junho de 1967. O esgoto corria a céu aberto pelas ruas, não havia água canalizada em alguns bairros e o Quarteirão Judaico estava destruído. Em Hebron, por 700 anos, judeus e cristãos eram proibidos de entrarem na tumba de Abraão, Isaque, Sara, Rebeca, Lia e Jacó. Desde junho de 1967, todos, judeus, muçulmanos e cristãos, são bem vindos a visitar qualquer parte de Jerusalém, Hebron e qualquer outro lugar onde Israel governa.
Com Israel, não temos que nos preocupar muito, mas temos que orar para que a reação do governo israelense seja sábia e apropriada e alinhada com a vontade de Deus.
Orem pelos Estados Unidos, os últimos 8 anos foram os mais difíceis – a administração dizia uma coisa sobre Israel, mas nos bastidores fazia o contrário. Todos nós conhecemos as promessas de Deus com relação a Israel:
- “E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra.” (Gênesis 12:3)
- “Ah! Sião! Escapa, tu, que habitas com a filha de babilônia. Porque assim diz o Senhor dos Exércitos: Depois da glória ele me enviou às nações que vos despojaram; porque aquele que tocar em vós toca na menina do seu olho. Porque eis aí levantarei a minha mão sobre eles, e eles virão a ser a presa daqueles que os serviram; assim sabereis vós que o Senhor dos Exércitos me enviou.” (Zacarias 2:7-9)
Orem por Israel! Com o movimento BDS (boicote, desinvestimento e sanções) contra Israel e agora as decisões da ONU contra Israel, os árabes/palestinos estão recebendo um vento que está impulsionando e encorajando-os a voltarem com o terrorismo organizado mais ativo contra Israel.
Orem pelo ano de 2017. Pelos desafios de paz no Oriente Médio e pelos desafios do Presidente Eleito dos EUA, Donald Trump, que assume o governo depois do dia 20 de janeiro de 2017. Orem também pelo governo de Israel, para que tenham sabedoria divina tanto com os assuntos internos quanto externos que estamos enfrentando. Sem a ajuda de Deus, Israel não consegue sobreviver.
Orem pelo desenvolvimento entre os rabinos ortodoxos, que têm uma mente aberta para ver e entender as bênçãos e os benefícios para o povo judeu e para o mundo em restaurar um relacionamento saudável com os judeus discípulos de Yeshua em Israel e no mundo.
Barry, nosso filho, ainda está com uma ferida aberta em seu abdômen e a ferida ainda está drenando. Por favor, orem para que a ferida seque e continue sarando e fechando o buraco. Barry e Beth têm sido corajosos e não reclamam (muito), mas eles precisam de orações e do toque de cura do Senhor, para acelerar a cura e possibilitar a volta ao trabalho e à vida normal.
Continuem orando pelos doentes da nossa lista e daqueles que vocês conhecem.
Devemos continuar orando pela rádio Kol HaYehsua, que tem transmitido as boas novas em hebraico e russo para todo o Oriente Médio.
Feliz ano novo a todos vocês! Que o Senhor abençoe a cada um de vocês com clareza na sua fé, com um ano de cura no corpo e na alma e nos seus relacionamentos, com um ano de prosperidade nas coisas desse mundo e especialmente que o Espírito de Deus prospere em vocês!
Deus abençoe vocês em 2017!

Joseph Shulam